Modalidade Saúde

0

Saiba mais sobre os benefícios e possibilidades da natação, um dos esportes mais completos para o corpo

Por Thais Marques Foto: Shutterstock.com / Arquivo Pessoal

Cristiane Wazlawick – Profissional de Educação Física

A natação é um esporte dinâmico, prazeroso e muito benéfico para o corpo e a mente. Por ter modalidades variadas, baixo impacto e trabalhar simultaneamente vários músculos do corpo, o exercício se torna um combo perfeito para a saúde – além de proporcionar diversão e relaxamento. Cristiane Wazlawick é professora de natação há mais de dez anos e afirma que o esporte é considerado um dos exercícios mais completos, indicado para pessoas de todas as idades. “Nadar é mais do que saber se deslocar na água sem se afogar, a atividade é divertida e saudável, com muitos benefícios para a nossa saúde”, declara.

Por trabalhar com todo o nosso corpo, além de melhorar o condicionamento físico geral e promover o fortalecimento muscular, a prática proporciona uma série de benefícios à saúde que merecem ser listados aqui: nadar combate o estresse, melhora a autoestima, reduz o risco de diabetes, ajuda no controle de peso, melhora a postura, aumenta a oxigenação do cérebro, estimula as atividades cognitivas, fortalece os ossos, melhora a qualidade do sono, estimula a circulação sanguínea, ajuda na recuperação de lesões, aumenta a capacidade cardiorrespiratória, reduz a probabilidade de problemas cardiovasculares, aumenta o colesterol bom e diminui o ruim. Ufa! A lista de benefícios é realmente extensa, não é?

E quantas vezes por semana o esporte deve ser praticado? A professora de natação explica que a frequência das aulas é relativa e depende do objetivo de cada um. “O mais indicado é praticar duas vezes no mínimo e no máximo 5 vezes na semana, com aulas de duração entre 30 e 60 minutos”. Segundo Cristiane, a regularidade do exercício se faz necessária pois grandes intervalos longe da piscina dificultam o processo de adaptação do corpo, e enquanto essa adaptação não acontece os resultados também tendem a não aparecer. Portanto, é importante ter disciplina!

Existem quatro estilos de nado nas provas do esporte: livre (crawl), costas, peito e borboleta. O nado mais praticado e conhecido é o livre, e os estilos levam em conta o posicionamento do tórax e o movimento das pernas e braços. Nas competições do esporte também existe o medley, onde os competidores nadam os quatro estilos. “Quando todas as modalidades da natação se somam, elas se complementam. Cada uma delas enfatiza uma parte do corpo, logo, praticando todos os estilos será possível alcançar o máximo de resultados”, comenta.

Para tornar o exercício mais dinâmico é possível trabalhar com variadas formas de treinamento, intercalando estilos, velocidades e durações das séries. “Melhorar as técnicas com educativos ao longo do treino de cada um dos quatro estilos torna o nado mais eficiente, sendo assim se gasta menos energia e as braçadas ficam mais rápidas”, explica Cristiane.

A profissional de educação física ainda afirma que nunca é tarde para começar a nadar e melhorar sua saúde com o esporte. “Além de todos os benefícios você irá se divertir e se sentir mais seguro em ambientes aquáticos. O que você está esperando para começar? Vamos nadar!”, conclui Cristiane.

Atleta inspiração

Marcela Soares – Atleta e Estudante de Medicina

Marcela Soares, 23 anos, estudante de medicina e apaixonada pela natação. A atleta deu suas primeiras braçadas aos 14 anos, por incentivo da irmã mais velha que, na época, era professora de natação em um clube. Ela conta que teve que aprender desde o básico. “Comecei com duas aulas por semana de 30 minutos cada. Não foi fácil, 25 metros pareciam 400, mas a cada aula era um movimento que melhorava e um estilo novo a ser aprendido”, comenta.

Foram aproximadamente quatro meses de aprendizado, e o gosto pelo esporte cresceu tanto que Marcela saía da água ao fim das aulas e permanecia ali, acompanhando de camarote os treinos da equipe de natação do clube. “Assistir aqueles atletas nadando foi me dando vontade de fazer parte da equipe também, mas ao mesmo tempo eu perguntava como eles conseguiam nadar mais de uma hora por dia e se eu iria conseguir”. Sim, Marcela conseguiu. A jovem entrou para a pré-equipe do Clube Comercial de Cascavel e três meses depois passou para a equipe principal, treinando de segunda à sexta durante três horas por dia. “O que eu mais amava nisso tudo eram as competições! Sentir aquela ansiedade e frio na barriga antes de cair na piscina era algo que se repetia em todas as provas”, diz Marcela, que confessou nunca ter se sentido a melhor atleta da equipe, mas que fazia disso um incentivo para treinar mais e melhorar seus tempos. “Essa é uma das lições do esporte que levo para a minha vida: independente do resultado eu não posso deixar de ver minha evolução pessoal”.

Nas competições existem várias equipes que representam seus respectivos clubes ou cidades. As provas podem ser feitas de maneira individual ou em grupo, realizando revezamentos. “Considero a segunda opção as melhores provas, pois participam quatro pessoas de cada equipe e, nesse caso, o esporte individual se torna coletivo”, diz Marcela, que atualmente representa seu curso e instituição de ensino no Intermed PR (jogos interatléticas de medicina do Paraná) e no JOIA Oeste PR (jogos interatléticas do Oeste do Paraná).

Hoje a atleta tenta conciliar os estudos com o seu esporte favorito, praticando ao menos três vezes por semana. Para ela, a natação se tornou o escape de toda a pressão e estresse da faculdade. “Desde o início a prática melhorou minha qualidade de vida, minha alimentação e o meu bem-estar físico, mas também modificou minha forma de lidar com as dificuldades e com as derrotas. Além disso, foi onde fiz verdadeiros amigos que tenho contato até hoje, e foi também onde conheci meu namorado”, comenta Marcela.

A dica da atleta para quem quer começar a praticar o esporte? “Não pense duas vezes! Você pode se apaixonar como eu pela natação e querer fazer parte de uma equipe e competir, o que vai te trazer muitas experiências e novos amigos”.

Se preferir, clique abaixo para acessar a matéria na versão web da Revista Touch:

#Esportes

Sem comentários