Investimento gera investimento

0

Curiosidade, diversidade de segmentos e gestão. Conheça a trajetória do Grupo Arena!

Por Thais Marques Fotos: Revista Touch / Arquivo Pessoal

 

A história de empreendedorismo do Grupo Arena começou cerca de quatro anos antes da existência do atual Arena Lounge. Wilson Junior dos Santos terminou a faculdade de Engenharia Química em 2010 e sonhava em seguir na área acadêmica, ser professor. Antes de iniciar o mestrado, passou cinco meses nos Estados Unidos sendo salva-vidas em um parque aquático, e em 2011 voltou para os estudos. A curiosidade do então engenheiro químico foi o ponto de partida para o mundo nos negócios.

Wilson Junior dos Santos – CEO Grupo Arena

Wilson conheceu o narguilé ainda durante a graduação e sempre buscou entender mais sobre o assunto. “Eu entrava em blogs para saber das novidades. O pessoal importava bastante dos Estados Unidos e do Egito, então eu comecei a fazer compras nos sites gringos para revender aqui”, conta. Do hobby que era o narguilé, começou a vontade de empreender. Um dos produtos mais procurados na época era o rosh – estrutura para essência e carvão -, que fez com que Wilson vislumbrasse a ideia de produzir esse acessório aqui no Brasil. “Fiz amizade com o pessoal de um blog que fazia vídeos no YouTube e consegui um sócio para abrir minha empresa de acessórios de narguilé, a BRmade. Eu passei de consumidor para empreendedor”, conta.

Com a primeira empresa aberta ainda em 2012, o engenheiro químico mudou todos os planos e objetivos de vida. A ideia do Arena Lounge nasceu da familiaridade do empresário ao ramo aliada à vontade de Wilson Alves dos Santos – pai de Wilson Junior – de investir em uma área diferente. Na época existia apenas uma tabacaria em Cascavel, e o mercado do narguilé crescia a cada dia. “Como eu já trabalhava com isso, meus amigos incentivavam a montar algo aqui, usando os produtos da BR Made. Foi isso que eu fiz!”.

O espaço em que hoje se localiza o Arena Lounge era muito diferente antes do projeto. Foram cinco meses de reforma para transformar a estrutura da sala comercial em uma tabacaria. Nesta fase de transição, Adriel Leandro Mariotti – amigo de Wilson e também engenheiro químico – se juntou ao time e deu vida ao sonho. A inauguração do estabelecimento aconteceu em março de 2015 – e foi um grande sucesso. Na época, a tabacaria tinha uma proposta diferente: lounge com música ambiente e salas VIP com videogames e narguilés. Três meses depois, com a demanda do público, o local precisou ser expandido e passou por mais duas reformas para receber DJs, música ao vivo e garantir ainda mais entretenimento.

Segundo Wilson, a instabilidade do negócio no quesito legislação é a grande dificuldade. É preciso estar sempre atento às mudanças e pronto para as adaptações. “No lado pessoal, o problema é que eu sempre trabalhei na parte técnica, e no Grupo Arena eu trabalho na gestão. Isso foi um desafio grande para mim”, comenta o empresário. A Arena Distribuidora surgiu para suprir uma necessidade diante da legislação, e consequentemente se tornou um crescimento. Diante do cenário instável, o objetivo era investir em outros negócios e reforçar a marca Arena.

Assim nasceu o Arena Bar e Boteco, inaugurado em junho de 2018. “A gente precisava de diversidade de investimento, sair do ramo de fumígeno e ir para o segmento de comida, bebida e entretenimento”. O novo estabelecimento foi inteiramente construído com o lucro do primeiro. “Sempre fomos muito pé-no-chão e buscamos a otimização, reduzir o custo para aumentar a rentabilidade e nunca extrapolar nas retiradas. Nosso investimento inicial no Arena Lounge foi muito baixo, e a partir do momento que passou a gerar lucro, guardamos para investir em outros negócios”. Hoje o Grupo Arena emprega mais de 50 pessoas direta e indiretamente, na soma das três empresas.

A dica principal do empresário não poderia ser outra: investimento gera investimento. Para ele, a curiosidade também é essencial. “Hoje temos muita fonte de informação. Se você tiver vontade, tem que ser bastante curioso e buscar aprender. Entenda também que você não vai ser bom em tudo. O papel do empreendedor é mais de encontrar pessoas que façam aquilo, que sejam capazes e eficientes. Não tenha medo de deixar responsabilidades com outras pessoas”, conclui.

Se preferir, clique abaixo para acessar a matéria na versão web da Revista Touch:

Sem comentários