Guia do botox preventivo

0

Entenda o procedimento, quem pode fazer e quais são os benefícios

Por Thais Marques Fotos: Arquivo pessoal / Shutterstock 

 

O botox é famoso na prática clínica há muito tempo, e é reconhecido por ser um procedimento não invasivo e com ótimos resultados em tratamentos estéticos e médicos, desde linhas de expressão, rugas, sudorese até enxaquecas crônicas e disfunções temporomandibulares. A aplicação da toxina botulínica tem se fortalecido ainda mais na área da estética por apresentar resultados satisfatórios em pacientes mais jovens, que hoje optam pelo chamado botox preventivo.

Vinicius Dequech Empinotti – Médico Dermatologista CRM/PR 20.796

O médico dermatologista Vinicius Dequech Empinotti comenta que o botox entrou no mercado de maneira mais intensa de uns 20 anos para cá, e o mesmo vem crescendo cada vez mais no segmento estético. Segundo ele, o botox preventivo é uma opção válida, já que é mais simples evitar que linhas de expressão e rugas apareçam – ou ao menos diminuir a intensidade delas -, do que tratar as mesmas depois.

Vinicius explica que o botox atua nas linhas de expressão da musculatura, e não em rugas por flacidez ou envelhecimento. Para essas, são utilizadas outras técnicas de tratamento. “Geralmente pacientes jovens têm linhas de expressão na musculatura em si, por isso o botox preventivo é uma das primeiras alternativas na prevenção do envelhecimento”, afirma.

Sobre o procedimento

O botox preventivo funciona da mesma maneira que o botox normal, podendo ser realizado em ambulatório, tendo em vista que o procedimento é rápido, seguro, minimamente invasivo e indolor. A toxina botulínica é diluída em soro fisiológico e a aplicação é individualizada. “Dividimos em unidades, de acordo com a necessidade de cada paciente, analisando a força da musculatura e intensidade da linha de expressão ou ruga. Assim, definimos se vamos aplicar uma quantidade maior ou menor do produto”.

Quem pode fazer

Como o nome já sugere, o botox preventivo deve ser feito antes do problema se intensificar. É por isso que, em geral, o procedimento é indicado para pessoas jovens. O médico dermatologista explica que a aplicação da toxina pode ser feita desde a primeira infância, não para fins estéticos, mas para tratamentos médicos de algumas condições específicas. Sendo assim, não existe uma idade mínima estabelecida. “Eu tenho pacientes com idades entre 18 e 20 anos que já fazem. Nesses casos focamos no ponto que há mais necessidade, que pode ser na ruga lateral dos olhos (ruga periorbital), ruga entre as sobrancelhas, na região da glabela ou até mesmo para elevar um pouco a cauda da sobrancelha”.

Vinicius ainda afirma que não há grandes contraindicações para o uso da toxina, sendo necessário apenas a realização de uma avaliação médica para descartar algumas doenças e possíveis problemas. “Pessoas com alergia a derivados de ovo ou que fazem uso de algumas medicações que contraindicam a aplicação do botox também precisam estar atentas, mas tudo isso pode ser analisado em uma consulta para orientação do paciente”, argumenta o dermatologista.

Cuidados

O procedimento pode causar uma reação relativamente comum: hematomas. O médico explica que no momento da aplicação da toxina, alguns vasos podem ser acometidos, gerando um pequeno sangramento no local. Mas não se preocupe! Segundo ele, o paciente deverá fazer um pouco de gelo no local para reduzir o hematoma e o problema se resolverá rapidamente. Também é importante evitar a realização de atividades físicas no dia da aplicação da toxina, além de manter repouso pelo menos nas primeiras quatro horas.

Resultado final e durabilidade

O dermatologista explica que o resultado do botox preventivo é perceptível a partir de 7 a 10 dias após o procedimento. A toxina tem ação temporária, e o prazo de duração pode variar entre 4 e 6 meses, de acordo com cada paciente. Sendo assim, a aplicação deverá ser feita no mínimo duas vezes ao ano.

 
Se preferir, clique abaixo para acessar a matéria na versão web da Revista Touch:

#Moda&Beleza

Sem comentários

Intolerância à lactose

Evitar o consumo excessivo do leite e seus derivados é o segredo para prevenir desconfortos abdominais e distúrbios intestinais