Estilo eternizado na pele

0
Foto: Arquivo Pessoal

Marginalizada até algumas décadas atrás, a tatuagem tem sido uma alternativa para muitas pessoas que buscam a arte com o objetivo de elevar a autoestima, imprimindo na pele seu estilo. A escolha do desenho é, sem dúvida alguma, de extrema importância, por se tratar de algo definitivo; mas o fundamental para evitar arrependimentos diz respeito à competência do profissional e aos cuidados tomados não apenas durante a realização da tatuagem, mas em todo o processo de cicatrização.

Edipo Thiago, tatuador

Tatuador há quatro anos, Edipo Thiago afirma que o primeiro passo para se tornar um profissional é aprender a desenhar, mas que tatuar não é o mesmo que desenhar no papel. “Qualquer pessoa pode ser tatuadora, mas poucos conseguem viver disso. Muita gente começa a tatuar por achar que é uma forma de ganhar dinheiro fácil, mas quem ganha a vida com tatuagem sabe que não é por dinheiro. Hoje em dia a informação é muito mais acessível do que quando eu comecei a trabalhar em estúdio para aprender, há oito anos. Tem muita gente que assiste aos vídeos do Youtube, compra o material e sai rabiscando os outros por aí sem ter a mínima noção sobre coisas indispensáveis como os cuidados que precisam ser tomados de acordo com a anatomia do corpo humano e as diferenças entre os tipos de pele. Muita gente não sabe, mas a tatuagem é um machucado que vai se transformar no resultado desejado após a cicatrização. Se você atingir um número maior de camadas de pele do que o ideal, vai causar um machucado de verdade, um tipo de lesão. Além disso, existem várias doenças que podem ser contraídas durante a tatuagem se o equipamento e o ambiente não estiverem devidamente limpos e esterilizados”.

Embora a legislação brasileira proíba a realização de tatuagens em pessoas menores de idade, muitos adolescentes têm se tornado adeptos da arte. A preocupação costuma ser em relação a possíveis arrependimentos, principalmente no que remete ao futuro profissional que, nessa fase da vida, ainda é indefinido para a maioria. Nesses casos, cabe ao profissional exigir a presença dos pais, além de explicar todos os cuidados necessários ao adolescente e, se julgar pertinente, orientá-lo sobre o tamanho e o local do corpo escolhido. “Antigamente era só a galera maior de idade que tatuava e ainda fazia em locais mais escondidos. Hoje é comum tatuar adolescentes, que vão com os pais. O problema é que geralmente eles já querem tatuar locais em que a tattoo fica muito visível, como mãos e pescoço. Nesses casos eu procuro conversar, pois sei que ninguém tem a mesma cabeça com 15 e com 20, 21 anos”.

Mesmo diante de um grande aumento na demanda – que hoje é tratada por muitos como tendência -, a tatuagem ainda divide opiniões e é alvo de preconceito no mercado de trabalho. “Já passou da hora de acabar com isso. As pessoas precisam parar de olhar para quem é tatuado com receio, porque a tatuagem é uma arte e não muda o caráter de ninguém. Além disso, os tatuadores de verdade estudam muito e se preocupam com a saúde e o bem-estar dos clientes, por isso merecem reconhecimento”, diz Edipo.

Assim como no mundo da moda e da música, existem vários estilos de tatuagens, que surgem para inovar e agradar a pessoas de gostos diferenciados. O tatuador cascavelense conta que seu estilo favorito é o old school, nascido nos Estados Unidos na década de 1920 e aderido por piratas e soldados da época. Simples e clássico, é considerado um dos primeiros estilos de tatuagem. “Nós tatuadores costumamos dizer que o old school é uma tattoo limpa e duradoura, que diferentemente das de alguns outros estilos, vai estar ali daqui a quinze, vinte anos. Surgiram outros estilos como o new school, o neo traditional e os que são moda atualmente, como a aquarela e o pontilhismo. Trabalhar com esses estilos me ensina muito, mas minha especialidade é o old school, que é o que faço quando viajo para tatuar em outras cidades”, afirma ele, que tem como principais referências os tatuadores Sailor Jerry e El Bara.

Não importa qual seja o estilo, tamanho ou local do corpo para que sejam tomados os cuidados necessários. As recomendações variam de acordo com cada profissional, sendo ou não sugerido o uso de pomadas específicas. O processo de cicatrização tem início logo após a realização da tatuagem, quando a pele começa a coçar e descascar. Durante esse período, é fundamental protegê-la de qualquer tipo de sujeira e mantê-la sempre hidratada – usando pomada ou creme hidratante neutro -, além de evitar a exposição ao Sol e a piscina, para que o cloro presente na água não comprometa a coloração do desenho. E não esqueça: jamais deve-se coçar ou arrancar a pele ressecada!

 

#CoolTime

Sem comentários

Ambiente em harmonia

Apostar na arte pode ser uma ótima opção para valorizar um ambiente, mas cuidado com os detalhes!